Archive for the ‘Coisas’ Category

Propriedade privada o cacete

outubro 3, 2007

Matéria na capa da Zero Hora comprova a minha tese: demolir casas, patrolar pátios e derrubar muros para construir perimetrais e grandes avenidas não adianta PORRA se MUITOS carros não saírem de circulação.

Carro com mais de 10 anos pra mim, se não for relíquia, tem que ser aniquilado com um lança-chamas. E foda-se o direito à propriedade: dá uma grana pro dono do carro, e é tchau e benção.

Pra completar a obra, os gênios que projetaram a 3ª Perimetral se esqueceram de três viadutos fundamentais pro trânsito circular direito: nos cruzamentos com a Cristóvão Colombo, com a Plínio Brasil Milano e a Bento Gonçalves.

Anúncios

O Ministério da Saúde adverte

agosto 28, 2007

Segundo o serviço de estatísticas do WordPress, uma pessoa acessou este blog ao buscar “vermelhidão braço acido nicotinico” no Google.

É bom saber que, de vez em quando, um mero relato bunda pode ser útil pra alguém.

Nó na cabeça

agosto 27, 2007

O front-light que fica na frente do meu prédio tem a incrível capacidade de me deixar perturbado, de tempos em tempos.

Entre outubro e dezembro do ano passado, por exemplo, ele ostentava uma foto gigantesca do Ronaldinho com a camisa do Barcelona (era uma propaganda da ESPN). Nem preciso dizer que o Barcelona (junto com a minha dissertação) era o tema principal dos meus pesadelos na época.

O anúncio de agora traz, em letras garrafais:

PÓS-GRADUAÇÕES PUCRS
MESTRADO E DOUTORADO
INSCRIÇÕES ABERTAS

Dilemas, dilemas…

Analfabetismo

agosto 10, 2007

Descoberta do dia: soçobrar é com cê-cedilha.

Achei feio, mas tudo bem.

Pra animar a festa

agosto 2, 2007

As Musicas do Programa Amaury Jr.
Vários
UNIMAR MUSIC (CD NACIONAL)
por: R$ 23,90

amaury.jpg

Sinopse
O Programa Amaury Jr. está no ar há 25 anos, atualmente veiculado de terça a sexta-feira, à meia-noite, e aos sábados a partir das 22 horas pela Rede TV!

Amaury Jr. é o criador do colunismo social eletrônico, reconhecido como o mais influente entrevistador de personalidades do Brasil.

Com mais de 25 mil entrevistas no currículo, o apresentador já levou seus telespectadores aos quatros cantos do mundo, mostrando lugares exóticos e conversando com personalidades internacionais como Celine Dion, Lisa Minelli, Luciano Pavarotti, Julio Iglesias, Charles Aznavour, Tonny Bennet, o milionário Donald Trump, Grace Jones, Shirley MacLaine, Bo Derek, Paul Anka e a rainha Silvia da Suécia, para citar algumas.

Seguindo a linha editorial que garantiu sucesso nessas últimas duas décadas, Amaury Jr. circula pelos lugares em que acontecem os principais eventos sociais, entrevistando gente que faz o Brasil acontecer.

Amaury está sempre na lista de convidados das melhores recepções do País, fazendo com que seu Programa seja reconhecido por mostrar na televisão as festas mais exclusivas da alta sociedade brasileira.

Este CD, foi elaborado com as músicas de sucessos escolhidas pelo apresentador a qual é executada em seus programas.

1 . Jesse Green – Nice And Slow
2 . David Naughton – Makin It
3 . Beach Boys And Kathy Troccoli – I Can Hear Music
4 . Kc & The Sunshine Band – Keep It Comin´love
5 . Trio Galetta – I´m So Happy
6 . George Mccrae – Rock You Baby (disco Version)
7 . Kc & The Sunshine Band – Shotgun Shuffle (remix)
8 . Juliana Aquino – Never Knew Love Like This Before
9 . Chris Rea – Driving Home To Christmas
10 . Johnny Boy – What´s Going On
11 . David Naughton – Makin It (remix)
12 . Rod Hanna – Heaven Knows
13 . Double You – You Are Everything
14 . The Love Unlimited Orchestra – Freeway Flyer

Perdido no centro

julho 25, 2007

Ontem, depois do almoço, caminhei por uns 20 minutos de bobeira no centro de Porto Alegre. Subi a General Câmara até a Praça da Matriz, cortei em diagonal em direção ao Piratini e andei pela Duque de Caxias no sentido do Gasômetro.

No caminho, resolvi entrar em uma rua onde nunca havia passado, mas que sempre tinha despertado a minha curiosidade. É uma rua sem saída, a primeira que corta a Duque depois do Piratini, bem em frente à João Manoel.

Na esquina dessa rua com a Duque, ficam um muro alto, com um estacionamento em cima (à esquerda) e um casarão lindo e muito deteriorado (à direita). Caminhei até o fim dela, com calma, aproveitando as nesgas de sol entre as árvores e matando tempo até voltar pro trabalho.

No fim da rua, a minha surpresa: ali fica uma escadaria que leva até a Fernando Machado. A escadaria é pintada de branco, toda pichada, cercada de prédios velhos e alguns casebres.

escadaria.jpg

Me surpreendi pela minha idiotice em nunca ter notado aquele lugar, tão óbvio e metido no meio do centro.

No caminho de volta, cuidei a placa para ver o nome da rua. Ela tinha sido arrancada.

Até agora não sei o nome.

Gêmeos, mórbida semelhança

julho 21, 2007

G

(semelhança apontada pelo Mattos)

Daqui pra frente, só piora

julho 20, 2007

Declaro oficialmente aberta a temporada do Spuldar Ano 30.

Teu avião virou uma bola de fogo? Relaxa e goza.

julho 19, 2007

Não estou em condições de opinar sobre o acidente de Congonhas, seja por falta de condições físicas, mentais ou intelectuais (acho que o Suruba resumiu bem o que eu penso). Dez horas por dia sentado na frente de um computador, sem levantar e sem tomar água, não deixam a pessoa exatamente em seu estado normal.

Só digo que, pela primeira vez na vida, a perspectiva de entrar em um avião me dá MEDO. Logo eu, que sempre zombei desse pessoal que reza antes de decolar, que fica apreensivo só de entrar na sala de embarque e que bate palmas quando um vôo internacional toca o chão.

Sempre gostei da sensação de voar, mas dois desastres aéreos em 10 meses, matando quase 400 pessoas, são eventos meio difíceis de assimilar.

Pavor absoluto

julho 8, 2007

Vivi momentos de terror na manhã de domingo. Explico…

Estou tomando ácido nicotínico pra aumentar o HDL do sangue, o famoso “colesterol bom”. A médica já havia dito que eu poderia ter alguns efeitos colaterais desagradáveis, como palpitação, suor e vermelhidão na pele. Mas ela me tranqüilizou, dizendo que essas reações eram suportáveis e que o ideal seria tomar o remédio antes de dormir – ou seja, os efeitos não iriam estragar o sono e passariam despercebidos.

Até ontem, eu não tinha sentido nada.

Hoje, às 5h30, acordei com uma sensação de ardência muito grande. Ela começou no pescoço, passou pros braços e depois tomou conta do corpo inteiro.

Fui para o banheiro e não agüentei: tive que tirar toda a roupa. No espelho, notei que o meu rosto e as minhas mãos se deformaram, ficando inchados e cheios de rugas, como um sharpei (essa comparação é exagerada, mas serve pra fazer uma imagem da situação). A pele foi ficando cada vez mais vermelha e comecei a sentir uma formigação que até agora não sumiu totalmente.

Precisei desligar a luz do banheiro, pois não queria me ver daquele jeito.

Foi um pânico, um terror que eu nunca tinha sentido. Eu me via como alguém se transformando num lobisomem. Quem me dera que fosse uma alucinação ou um sonho.

Resolvi ficar um tempo sentado no banheiro. Passei água fria no rosto e nos braços e a sensação começou a passar. A coisa toda durou meia hora, mais ou menos.

Voltei para a cama e dormi mais um pouco, até a hora de ir pro trabalho.

Ainda não olhei a bula, mas desconfio que tenha a ver com a) a cerveja que eu havia tomado poucas horas antes de engolir o comprimido, b) o paracetamol que eu tomei junto com o ácido nicotínico, pra curar o meu resfriado, ou c) as duas opções combinadas.

Medo, muito medo.